Receba nossas dicas Fale com um consultor
  • Finanças

Como administrar melhor o dinheiro? Listamos as 5 melhores práticas

Equipe Bemacash
Equipe Bemacash
26/12/2018
5 min e 43 seg de leitura

Vivemos em uma época que a instabilidade financeira do Brasil afeta cada vez mais as famílias e empresas. Em momentos como esses, controlar o seu dinheiro se torna essencial para que você não se perca em meio a tantas dívidas que podem surgir de repente.

Segundo dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), de janeiro de 2017 a janeiro de 2018, a maior dívida do brasileiro é com o cartão de crédito, quase 78%. Seguidos por carnês (16,9%) e financiamento de carro (11%).

Ainda de acordo com a CNC, esses números podem atingir diretamente a intenção de consumo das famílias. Em outra pesquisa realizada em outubro deste ano (2018), a lenta recuperação do mercado de trabalho, somada com o crescimento do endividamento e o comportamento dos juros, influenciou na queda do consumo das famílias.

No contexto atual, ter um planejamento financeiro se torna cada vez mais importante, principalmente se você for o dono de uma empresa. É justamente essa vigilância que vai auxiliar na gestão do seu negócio e mostrar os melhores momentos para poupar, investir ou juntar dinheiro.

Quer saber como administrar melhor o dinheiro? Então, acompanhe a leitura e vamos entender qual é o caminho do sucesso!

Boas práticas

O maior problema de ter uma gestão conjunta é a falta de controle do valor que entra e sai. Como saber o tamanho do seu lucro se, na mesma conta das despesas, consta o valor dos seus gastos pessoais?

Agindo dessa forma, você pode mascarar os resultados reais da sua empresa, ter problemas na hora de fazer a declaração do imposto de renda e determinar preços equivocados devido à falta de resultados concretos.

Porém, além de separar os custos pessoais do empresarial, existem outras práticas que podem ajudar você a melhorar a saúde financeira das duas áreas sem precisar ultrapassar essa barreira.

1. Controle constante

Antes de começar a fazer planejamentos para administrar melhor o dinheiro, é importante que haja um controle constante das suas despesas. Nessa lista, coloque apenas os seus gastos fixos como IPTU, luz, água, prestações etc.

Isso vai ajudar a mensurar os seus gastos mensais e vai mostrar o quanto você pode destinar para investimentos ou atividades de lazer, caso esteja fazendo o controle pessoal.

Para evitar o risco de perder as informações, mantenha essa lista salva em aplicativos de compartilhamento online (Google Drive ou Dropbox).

2. Reserva de emergência

Depois que conseguir enxergar todo o seu gasto fixo, o próximo passo é fazer uma reserva de emergência. É esse valor que vai ser capaz de cobrir os imprevistos do dia a dia.

Em caso de empresas, imagine um gasto extra por causa de algum incidente ou um computador que precisa de manutenção. Despesas que não constam no seu controle de gastos podem prejudicar toda a saúde financeira do seu negócio.

Por isso, é tão importante que você tenha um valor destinado a esses imprevistos. Porém, não existe um valor ideal para ter nessa reserva.

Já para o controle pessoal, o aconselhado é que o valor seja equivalente a 6 vezes o salário que você recebe.

3. Retirada fixa da empresa

Todos os gastos foram estabelecidos, apontados e a reserva de emergência está bem definida. Agora é a hora de você fazer uma retirada para empreender. O aconselhado é que você retire 10% do seu rendimento do mês para fazer aplicações que possam render juros.

Foque em investimentos fáceis de acompanhar como:

  • poupança: investimento de baixo risco e baixa rentabilidade;
  • títulos públicos: papéis emitidos pelo Tesouro Nacional com risco baixo e rentabilidade moderada;
  • Certificados de Depósitos Bancários(CDB): considerado o investimento mais seguro. É emitido por bancos. Quanto mais tempo o dinheiro ficar, maior a sua rentabilidade.

O objetivo é fazer com que esse dinheiro separado aumente em longo prazo. O intuito é que você faça melhorias e amplie o patrimônio do seu negócio sem entrar em financiamentos ou empréstimos, um dos grandes vilões para as finanças da sua empresa.

Lembre-se: não faça retiradas no dinheiro da empresa para arcar com gastos pessoais.

4. Metas

Não adianta nada fazer todos os passos anteriores se você não tiver metas, pois são elas que vão guiar todo o seu investimento. Antes de defini-las, pense em como você ver a sua empresa em curto, médio e longo prazo.

O mais importante é que você conheça muito bem o seu negócio e a área em que está presente. Definir metas superficiais, inatingíveis ou que não vão ao encontro do que a sua empresa produz vai atrasar o seu desenvolvimento e prejudicar a saúde do seu negócio.

5. Outros

Certamente que essas dicas não são todas as formas de melhorar o seu orçamento, mas, com certeza, são as fundamentais. Vale a pena citarmos outras maneiras de administrar melhor o dinheiro da sua empresa.

Evite, sempre que puder, os cartões de créditos. Apesar de ser a forma de pagamento mais utilizada e prática para algumas compras, os juros que o acompanham são altos. Se você atrasar uma fatura, já é o suficiente para prejudicar todo o seu planejamento.

Quando estiver decidido a fazer alguma compra, certifique-se que já fez todas as pesquisas de preço possíveis. Ao comparar os preços, você consegue economizar e negociar melhor com os fornecedores. Em hipótese alguma compre por impulso.

Finanças para prestadores de serviços

Ter uma forma de se organizar e evitar erros comuns na hora de fazer os levantamentos financeiros é uma boa solução para manter o seu negócio forte e sem dívidas. Todas essas dicas que passamos podem ser facilmente desenvolvidas com o auxílio de um sistema de gestão.

Hoje em dia, as empresas precisam se preocupar com o valor que entra e sai no final do mês para fazerem um controle eficiente e serem capazes de encarar os concorrentes. O uso da tecnologia pode ajudar a entender os seus pontos fortes e fracos, os erros e acertos, e também oferecer uma base sólida para você tomar as melhores decisões.

As grandes vantagens de ter um controle automatizado é que podemos acompanhar o fluxo de caixa em tempo real, fazer um controle mais efetivo das contas a pagar e a receber, além de gerar boletos sem burocracia.

Esse trabalho é desenvolvido pelo sistema de gestão financeira do Bemacash. Esse sistema, com qualidade TOTVS, permite que você organize todo os seus gastos e lucros em um só lugar, com uma mensalidade baixa.

Gostou de saber como administrar melhor o dinheiro? Então, conheça um pouco mais dos benefícios do sistema Bemacash.

Powered by Rock Convert

Escrito por

Equipe Bemacash

Equipe Bemacash

Frente de Caixa
do Bemacash

A solução completa que
você precisa para vender
mais e organizar o seu
negócio

Saiba mais

Você pode se interessar também por